segunda-feira, 18 de julho de 2016

Tempo de Armazenamento de Leite Materno


Traduzido e adaptado por Marla Stern
Revisão: Sarita Oliveira e Daniela Guerreiro Do Valle



PORQUE HÁ DIFERENTES ORIENTAÇÕES SOBRE ARMAZENAMENTO DE LEITE MATERNO ORDENHADO?

Ler diferentes orientações para armazenamento de leite materno em fontes diferentes pode te deixar confusa! Quais orientações estão corretas? Por que os especialistas não entram em consenso? O que você realmente precisa saber?
A boa notícia é que há explicações lógicas para estas diferenças. E uma vez que você as conheça, você pode armazenar e usar seu leite com confiança.

Ideal Versus Seguro
Nas orientações dadas no final deste texto, alguns prazos de armazenamento para o leite refrigerado e para o congelado são classificados como “Seguro” enquanto outros são classificados como “Ideal”. Dentro dos prazos “Seguro” o leite ordenhado não irá estragar. Entre “Ideal” e “Seguro” o leite ainda estará bom, mas algumas vitaminas, antioxidantes, e outros nutrientes são perdidos. Algumas organizações de saúde, como a Academia de Medicina de Amamentação, recomendam o menor tempo de armazenamento como “Ideal” porque eles preferem que o leite seja consumido antes que estas perdas aconteçam.
É sempre melhor usar seu leite o quanto antes do que mais tarde, porém seu leite não deverá estragar dentro dos períodos de tempo “Seguro”. Leite materno encontrado no fundo da geladeira depois de 8 dias ainda vai ser muito melhor para o seu bebê que fórmula.

Qual é a sua temperatura ambiente?
Algumas orientações de armazenamento de LM também variam porque elas levam em consideração diferentes definições de temperatura ambiente. Se você vive em um clima tropical ou subtropical, a maior temperatura ambiente das orientações abaixo deve condizer melhor com a sua realidade. Nas zonas temperadas, a menor temperatura, provavelmente, se encaixe melhor, pelo menos durante as estações mais frias.

Congelado previamente ou não?
O período de armazenamento para o para o LM descongelado é menor que o período de armazenamento do LM fresco ou refrigerado que nunca foi congelado. O congelamento mata anticorpos, que protegem o leite de estragar. Quando as células vivas do leite estão mortas, ele estraga mais facilmente. Quando tiver dúvida, cheire ou prove. Leite estragado tem cheiro de estragado.
 

A sua situação particular faz diferença

Se você ainda está com dúvida sobre quais orientações seguir e como melhor armazenar seu leite, se faça as seguintes perguntas:
 

- Seu bebê é saudável?  Estas orientações são para bebês a termo, saudáveis em casa (não hospitalizado).
- Se o seu bebê está hospitalizado, as orientações para armazenamento de LM do seu
hospital provavelmente são diferentes destas. Bebês pré termo e doentes são mais vulneráveis a doenças, então as recomendações para ordenha e armazenamento podem ser mais rigorosas.
 

- Quanto LM ordenhado o seu bebê toma? Se o seu bebê toma a maior parte do LM direto dos seus seios, você não precisa se preocupar se a pequena quantidade de leite ordenhado que ele toma está fresco, refrigerado, ou congelado previamente. Se uma grande parte do LM que o seu bebê toma é leite ordenhado, pese suas opções com mais cautela. O congelamento mata anticorpos, então ao invés de congelar todo o seu leite ordenhado, ofereça a maior quantidade de leite fresco ou refrigerado que você puder. Mas mesmo sem os anticorpos, leite congelado é ainda uma escolha muito mais saudável que fórmula.

Tempo de armazenamento de LM para bebês a termo em casa (não hospitalizados): 

 
Temperatura ambiente (19°C-22°C)
• Fresco, nunca congelado: 6-10 horas.
• Congelado e descongelado: 4 horas.
• Congelado então descongelado, aquecido mas não oferecido ao bebê: usar imediatamente.
• Congelado então descongelado, aquecido e oferecido ao bebê: até que se termine de
oferecer ao bebê (descartar o que sobrar).

Temperatura ambiente (23°C–25°C)
• Fresco, nunca congelado: 4 horas.
• Congelado e descongelado: 4 horas.
• Congelado então descongelado, aquecido mas não oferecido ao bebê: usar imediatamente.

• Congelado então descongelado, aquecido e oferecido ao bebê: até que se termine de
oferecer ao bebê (descartar o que sobrar).

Térmica com gelox
• Fresco, nunca congelado: 24 horas.
• Congelado e descongelado: não armazenar dessa forma.
• Congelado então descongelado, aquecido mas não oferecido ao bebê: não armazenar dessa forma.
• Congelado então descongelado, aquecido e oferecido ao bebê: não armazenar dessa forma.

Geladeira (4°C)
• Fresco, nunca congelado: ideal: até 72 horas, seguro: até 8 dias.
• Congelado e descongelado: 24 horas.
• Congelado então descongelado, aquecido mas não oferecido ao bebê: 4 horas.

• Congelado então descongelado, aquecido e oferecido ao bebê: descartar.

Freezer de geladeira (variável -18°C)
• Fresco, nunca congelado anteriormente: 3 a 4 meses.

• Congelado e descongelado: não armazenar dessa forma (não congelar novamente).
• Congelado então descongelado, aquecido, mas não oferecido ao bebê:
não armazenar dessa forma (não congelar novamente).
• Congelado então descongelado, aquecido e oferecido ao bebê: descartar.

Freezer separado fundo (-18°C)
• Fresco, nunca congelado: ideal: até 6 meses, seguro: até 12 meses.
• Congelado e descongelado:
não armazenar dessa forma (não congelar novamente).
• Congelado então descongelado, aquecido, mas não oferecido ao bebê: não armazenar dessa forma (não congelar novamente).
• Congelado então descongelado, aquecido e oferecido ao bebê: descartar.

Referências
Jones, F. Best Practices for Expressing, Storing and Handling Human Milk, 3rd edition.
Raleigh, NC: Human Milk Banking Association of North America, 2011.
Mohrbacher, N. Breastfeeding Answers Made Simple. Amarillo, TX: Hale Publishing, 2010.


sábado, 9 de julho de 2016

Como retomar a amamentação exclusiva


Por Ana Beatriz Herreros e Fernanda Rezende Silva
Revisão: Luciana Freitas, Sarita Oliveira, Daniela Guerreiro do Valle

O processo de retomar a amamentação exclusiva, eliminando o LA (leite artificial) não é fácil - é uma mudança grande para a mãe e para o bebê, por isso a mãe precisa estar ciente que o bebê pode demandar mais atenção e chorar mais (se a mãe sabe que isso vai acontecer o processo fica mais fácil). Se for possível: peça ajuda com a casa (talvez o marido possa tirar alguns dias de folga, por exemplo), mas deve-se escolher bem a quem pedir ajuda, pois não adianta chamar uma amiga que vai dizer o tempo todo "você tem pouco leite", "esse bebê chora de fome". Um sling pode ajudar bastante, pois no sling o bebê pode mamar (e até dormir) enquanto a mãe tem as mãos livres para outras atividades da casa.
 

A grande maioria dos bebês que tomam LA, o fazem em mamadeira, e muitos deles também usam chupeta. O primeiro passo para a mãe que deseja amamentar exclusivamente é se livrar de mamadeiras, chupetas e bicos (protetores) intermediários de silicone, pois eles influenciam na forma como o bebê suga o peito, afetando a produção de leite. Não adianta iniciar a redução do LA se o bebê ainda usa bicos artificiais, pois o bebê que usa bico artificial não ordenha o seio corretamente, não obtém todo o leite de que precisa, e não estimula adequadamente a produção. Para entender como os bicos artificiais atrapalham leia aqui. Chupetas devem ir para o lixo. Mamadeiras devem ser substituídas por copinho, colher ou colher-dosadora - veja opções aqui. Se a mãe usa bico de silicone também deve se livrar dele (veja dicas aqui).
 

Se o bebê ainda pega o peito, mesmo que por pouco tempo, isso é ótimo. Bebês que estão totalmente desmamados devem primeiro fazer relactação. Bebês que rejeitam o peito precisam de ajuda para voltar a mamar bem.
 

Agora vamos aos detalhes do LA - como fazer a redução. Fracione as doses para não ter volumes muito altos poucas vezes ao dia (pode fracionar em 3 a 5 doses, conforme o volume), e fixe os horários para oferecê-lo (você pode oferecer a cada quatro ou cinco horas, conforme os sinais de fome ou a rotina prévia). A livre demanda é só para o peito. Procure não oferecer LA de madrugada. Um exemplo prático: se o seu bebê toma 90 ml de LA 2 vezes ao dia, passe a oferecer 60ml de LA, 3 vezes ao dia. Os horários, neste caso, poderiam ser: 10h, 17h, 20h. Se toma 150ml 3 vezes ao dia, pode passar a tomar 90ml 5x ao dia. Os horários são uma referência. Não se desespere caso não sejam seguidos rigorosamente - é importante ter um planejamento de horários mas não há problema se atrasar ou adiantar um pouco.

Ofereça SEMPRE o peito antes do LA. Tente deixar o máximo de tempo em cada seio, até o bebê largar sozinho ou se irritar demais. Troque de seio uma ou duas vezes antes do LA, para garantir estímulo aos dois seios. Exemplo: bebê mamou o peito direito, reclamou: ofereça o peito esquerdo, bebê reclamou de novo: volte para o peito direito, reclamou mais uma vez: ofereça o peito esquerdo novamente - se o bebê não aceitar de novo o peito esquerdo, ou estiver ficando muito impaciente, aí sim é hora de oferecer o LA. O bebê pode não tomar o LA todo. Tente oferecer, mas não o force a tomar.


Estimule a produção de leite materno. Pratique a livre demanda verdadeira, sempre verificando se a pega está correta. Ofereça o peito o tempo todo, sempre ao menor sinal de que possa querer mamar (aqui o sling ajuda muito). Bebê acordou? Peito! Bebê resmungou? Peito! Bebê agitado? Peito! Ofereça o tempo todo, mas não se chateie caso o bebê, em alguns momentos, não queira mamar - ele está apenas lhe dizendo que está satisfeito. Peito murcho também tem leite. Tomar banho juntos, contato pele-a-pele e cama compartilhada ajudam a estimular ainda mais a produção de leite. Faça intensivo de peito: não deixe passar mais de duas horas sem oferecer o peito durante o dia (a menos que o bebê esteja dormindo) e 3 horas à noite. Não precisa acordar o bebê à noite para mamar, basta oferecer o peito, com o bebê dormindo mesmo: deite ao lado do bebê, toque o mamilo (molhado com um pouco de leite) nos lábios do bebê - se mamar ok, se não mamar deixe o bebê dormir.


Após fixar a quantidade e os horários de LA pode começar a redução: a cada dois dias retirar 10 ml de cada dose de LA oferecida. Se hoje o bebê toma doses de 120 ml: em dois dias reduzir cada dose para 110ml, em mais dois dias reduzir para 100ml, depois 90ml etc.. Sempre oferecer o peito primeiro, depois o LA e depois tentar novamente o peito.


Questões práticas da redução do LA: prepare uma porção múltipla de 30ml, retire a diferença usando uma seringa e JOGUE FORA. Exemplo: se o bebê vai tomar 110ml, prepare 120ml, retire 10ml na seringa e descarte. Jogue fora mesmo o que foi retirado na seringa para não cair na tentação de oferecer ao bebê.


Fique atenta aos sinais do seu bebê. Observe a cor do xixi: se estiver sempre clarinho é um indicador que o bebê está mamando bem. As fezes podem ficar menos frequentes, e isso não é sinal de constipação, já que o LM é melhor aproveitado. Pese seu bebê uma vez por semana, sempre na mesma balança, e esteja consciente de que o ganho de peso poderá desacelerar (bebês de mamadeira geralmente são super alimentados) - se o bebê se mantém com ganho de peso constante e dentro do mesmo canal (espaço entre duas curvas) do gráfico de curvas de percentis ou z scores (que se encontra na caderneta da criança do seu bebê e deveria ser preenchido pelo pediatra), então está tudo indo bem.
 

A sugestão é reduzir de 10 em 10 ml, porém seu bebê pode querer reduzir mais rápido do que isso - se você se sente segura pode acelerar a redução. Um exemplo: o bebê deveria tomar 90ml em cada dose de LA, mas durante um dia inteiro não tomou mais do que 70ml, então pode continuar a redução a partir dos 70ml.


Resumindo:
1- Jogue fora todos os bicos artificiais (chupetas, mamadeiras, bicos de silicone) e passe a oferecer o mesmo volume de LA em um recipiente seguro (copo, colher).
2- Aumente a produção de leite fazendo um intensivo de peito. Não deixe passar mais de 2 horas sem oferecer o peito de dia nem mais de 3 horas de noite.
Lembre que o bebê deve estar mamando bem no peito, livre da interferência de bicos artificiais, antes de começar a reduzir o LA. Você pode demorar alguns dias na fase 2 até sentir que o bebê está confortável no peito.
3- Redução do LA: a cada 2 dias reduzir 10ml de cada dose de LA, até zerar o volume, ou até chegar ao mínimo com que o bebê ganhe peso e se mantenha na sua curva.
IMPORTANTE: o bebê deve ser pesado uma vez por semana durante toda a redução.
Não pule mamadas, não pule os horários do LA, nem faça a redução de uma vez, pois isso pode atrapalhar o ganho de peso e ser prejudicial ao seu bebê.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Doação de Leite Humano

Quem pode ser doadora de leite humano?
Algumas mulheres quando estão amamentando produzem um volume de leite além da necessidade do bebê, o que possibilita que sejam doadoras de um Banco de Leite Humano.
De acordo com a legislação que regulamenta o funcionamento dos Bancos de Leite no Brasil (RDC Nº 171) a doadora, além de  apresentar excesso de leite, deve ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente.

Como doar?
Se você quer doar seu leite entre em contato com um Banco de Leite Humano.
Clique aqui e veja o mais próximo de você. Veja aqui os Bancos de leite ou postos de coleta na sua região>http://www.redeblh.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=393

Como preparar o frasco para coletar o leite humano?
- Escolha um frasco de vidro com tampa plástica, pode ser de café solúvel ou maionese;
- Retire o rótulo e o papelão que fica sob a tampa e lave com água e sabão, enxaguando bem;
- Em seguida coloque em uma panela o vidro e a tampa e cubra com água, deixando ferver por 15 minutos (conte o tempo a partir do início da fervura);
- Escorra a água da panela e coloque o frasco e a tampa para secar de boca para baixo em um pano limpo;
- Deixe escorrer a água do frasco e da tampa. Não enxugue;
- Você  poderá usar quando estiver seco.

Como se preparar para retirar o leite humano (ordenhar)?
O leite deve ser retirado depois que o bebê mamar ou quando as mamas estiverem muito cheias.
Ao retirar o leite é importante que você siga algumas recomendações que fazem parte da garantia de qualidade do leite humano distribuído aos bebês hospitalizados:
1- Escolha um lugar limpo, tranquilo e longe de animais;
2- Prenda e cubra os cabelos com uma touca ou lenço;
3- Evite conversar durante a retirada do leite ou utilize uma máscara ou fralda cobrindo o nariz e a boca;
4- Lave as mãos e antebraços com água e sabão e seque em uma toalha limpa.

Como retirar o leite humano (ordenhar)?
Comece fazendo massagem suave e circular nas mamas.
Massageie as mamas com as polpas dos dedos   começando na aréola (parte escura da mama) e, de forma circular,  abrangendo toda mama.
Video-aula sobre ordenha manual

É ideal que o leite seja retirado de forma manual:
- Primeiro coloque os dedos polegar e indicador no local onde começa a aréola (parte escura da mama);
- Firme os dedos e empurre para trás em direção ao corpo;
- Comprima suavemente um dedo contra o outro, repetindo esse movimento várias vezes até o leite começar a sair;
- Despreze os primeiros jatos ou gotas e inicie a coleta no frasco.
Se você estiver com dificuldade de retirar seu leite, procure apoio no Banco de Leite Humano mais próximo de você. 

Como guardar o leite retirado para doação?
O frasco com o leite retirado deve ser armazenado no congelador ou freezer.
Na próxima vez que for retirar o leite, utilize outro recipiente esterilizado e ao terminar acrescente este leite no frasco que está no freezer ou congelador.
O leite pode ficar armazenado congelado por até 15 dias.
O leite humano doado, após passar por processo que envolve seleção, classificação e pasteurização, é distribuído com qualidade certificada aos bebês internados em unidades neonatais.

(Texto retirado do site da Rede Brasileira de Bancos de Leite humano:

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Chás para emagrecer


Alguns fitoterápicos estão considerados na lista de substancias e medicamentos da Fiocruz ou na lista do e-lactancia. Porém nem todas as substancias são catalogadas, a grande maioria dos chás que prometem auxiliar no emagrecimento são ativadores do metabolismo, eles aceleram a taxa metabólica normal de seu organismo com diferentes substancias, e muitas vezes também tem efeito laxativo. Como consequência você pode experimentar perda abrupta de peso acompanhada de anemia ou perda de outros micronutrientes, completando um quadro de malnutrição.

Essas substancias podem passar no LM e causar um efeito similar no bebe alterando o ganho de peso, e causando graves consequências no desenvolvimento de seu filho em qualquer idade. 


CHÁS EMAGRECEDORES SÃO CONTRAINDICADOS PARA LACTANTES EM QUALQUER IDADE DO BEBE.

De maneira similar acontece com os suprimentos alimentícios comumente utilizados para auxiliar em ganho de massa muscular na academia, eles são bombas proteicas e calóricas algumas vezes acompanhadas de estimulantes metabólicos, e podem causar as mesmas ou piores consequências no bebe que os chás. 


Considere sempre que o que você consume pode passar ao bebe. 


Aqui você encontra a lista elaborada pelo Ministério da Saúde sobre a compatibilidade com a amamentação de diversos produtos - inclusive chás e ervas, na página 87. Você também pode entrar no site e-lactancia e procurar pelo nome.


 

E como perder o peso que ganhou durante a gravidez?
Com a amamentação em livre demanda, comendo em horários regulares, descansando bem e fazendo alguma atividade física leve/moderada (10 min de caminhada com o bebe já são um bom começo), seu metabolismo irá se ativar e a perda de peso será mais fácil. Mas lembre que cada mulher é única, o ritmo de emagrecimento depende do ritmo metabólico de cada uma, dos hábitos alimentícios e da constituição física, evite se comparar com outras mães, algumas emagrecem muito rápido, outras mais devagar.


A maioria volta ao peso de antes da gravides apenas 8-10 meses depois do parto, quando o bebe começa se movimentar mais. Tenha paciência. 


Uma das coisa que mais altera a perda de peso são os horários desordenados, o estresse e os ataques descontrolados à geladeira. Para evitar isso, reunimos abaixo algumas dicas úteis.





Dicas para evitar a fome e não exagerar na alimentação:


*Nunca amamente com fome, se for preciso coma enquanto amamenta, o bebe não vai se incomodar. Peça ajuda para cortar os alimentos com a faca, com uma mão pode ser missão impossível.
 

*Faça vários lanchinhos durante o dia, e prefira alimentos de baixo índice glicêmico neles (abacate, nozes, cereais integrais, carnes magras, carboidratos complexos, etc) 

*Mantenha em casa só alimentos saudáveis, assim se bate a fome a ataca a geladeira só terá opções saudáveis para se satisfazer. Mantenha frutas, nozes, pão integral, geleias naturais, etc.
 

*Descanse junto a bebe sempre, estresse e cansaço aumentam as chances de descontar na comida.
 

*Antes de começar qualquer atividade física consulte seu medico e veja aqui>
O exercício pode interferir na amamentação? https://www.facebook.com/groups/266812223435061/doc/368493763266906/

Uma avaliação de nutricionista pode ser muito valiosa para acertar uma dieta adequada durante a amamentação que lhe garanta recuperar seu peso ideal de forma saudável para você e especialmente para seu bebê.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Como prevenir fissuras nos seios? Como curar fissuras se elas aparecerem?


Por Moderadoras GVA

Uma das muitas preocupações de gestantes é preparar os seios para a amamentação (com a intenção de evitar fissuras), e infelizmente alguns médicos ainda fazem recomendações neste sentido. Durante a gravidez não há uma preparação para as mamas com a finalidade de prevenir fissuras; na verdade, a maioria do que é recomendado mais atrapalha do que ajuda - nem mesmo a recomendação de tomar sol nos seios é válida. 

Por que nada que se faça na mama evita fissuras? Porque as fissuras mais comuns são  causadas pela pega errada do bebê, não por uma suposta sensibilidade da mama. Assim, o que as grávidas precisam é saber identificar e corrigir a pega correta. 
 Leia mais aqui: 
* Texto: Estou grávida e quero saber como me preparar para amamentar


Depois que o bebê já nasceu, caso as fissuras apareçam, o que fazer? O primeiro passo é, como dissemos, corrigir a pega: não adianta tratar a fissura se a pega continuar errada, pois isso continuará machucando o peito. Imagine a seguinte situação: você furou o dedo com uma agulha, está passando um medicamento para curar o machucado, mas todos os dias volta a furar o dedo novamente. Você conseguirá curar esse machucado? É o mesmo com a fissura na mama: a pega errada é o que causa o machucado; portanto, não adianta nada usar um medicamento, por mais milagroso que digam que ele é, se o bebê continuar machucando o peito com a pega errada em cada mamada. 


Veja nesse texto imagens e vídeos sobre a pega correta (tente a manobra com a mão em C descrita na imagem): 
* Texto: Pega correta


Se você não consegue corrigir a pega sozinha, visite um Banco de Leite (clicando aqui, você consegue localizar o mais próximo de você), procure uma consultora de amamentação, peça ajuda a uma amiga que amamenta - não sofra sozinha, é importante pedir ajuda.

Se o peito estiver muito cheio, ordenhe um pouco de leite antes da mamada, pois mama muito cheia dificulta a pega. 
Veja aqui sobre ordenha manual: 
* Texto: Como retirar e estocar o leite materno


Se estiver difícil acertar a pega na posição tradicional de amamentação tente outras posições, como as sugeridas nesse texto do GVA no Facebook. 

Caso sinta dor durante a mamada, interrompa e acerte a pega quantas vezes forem necessárias. Se for preciso tirar o peito da boca do bebê, use seu dedo mínimo para ajudar o bebê abrir a boca e retirar o mamilo sem dor, como na imagem abaixo:



Ofereça o peito em livre demanda, sempre aos primeiros sinais de fome do bebê - um bebê ansioso e esfomeado tende a pegar o peito de forma errada. Na imagem abaixo, você pode ver como identificar os primeiros sinais de fome, os sinais médios e os sinais tardios:



Quando a mãe consegue corrigir a pega, a dor diminui mesmo se o peito ainda não estiver curado completamente, pois mamando de forma correta o bebê não costuma pressionar a região machucada.
Nunca use intermediários (bico de silicone), pois atrapalham a pega e agravam a lesão mamilar. Não adianta a mãe se esforçar para corrigir a pega se o bebê estiver usando chupetas ou mamadeiras, pois elas fazem o bebê "desaprender" a mamar. 

Veja neste vídeo como a pega do peito é completamente diferente da pega da mamadeira/chupeta: 



E como tratar as fissuras que já apareceram? 

- Recomenda-se sempre o tratamento úmido das lesões mamilares, com o objetivo de formar uma camada protetora que evite a desidratação das camadas mais profundas da epiderme. Para isso, pode-se usar o próprio leite materno nas fissuras, passando de hora em hora e sempre após as mamadas. 

- Evite usar pomadas e óleos - eles deixam o peito escorregadio, o que faz o bebê errar a pega, e podem causar obstrução de ductos. O Ministério da Saúde cita a pomada de lanolina pura como uma das alternativas possíveis para ajudar na cicatrização, porém até mesmo esta pomada deve ser usada com muito cuidado, pois além de deixar o mamilo escorregadio há também o risco de alergia (já houve relatos de mães que desenvolveram alergia à lanolina).

- Proteja o peito do atrito com a roupa. Para isso, o melhor é deixar o seio livre ou usar rolinhos de fralda, como na foto abaixo:


- Não use conchas, pois elas podem machucar os ductos e deixam o peito abafado, favorecendo a proliferação de fungos e bactérias que causam infecção mamária.

- Não use no peito chás, cascas ou folhas: a eficácia desses tratamentos não está documentada e eles são fonte de contaminação (microorganismos encontrarão nas fissuras a porta aberta para provocar uma infecção na mama).

- Absorventes descartáveis podem ser usados nos seios desde que a mãe tenha o cuidado de trocá-los quando ficarem molhados. O ideal é usá-los por curtos intervalos de tempo, lembrando sempre de verificar se é necessário substituir por um seco.


Textos recomendados

- A importância da correção da pega


- Livre-demanda: o que realmente é - pelo pediatra Dr. González



sábado, 21 de maio de 2016

Estou grávida e quero saber como me preparar para amamentar

Existem muitas recomendações sobre como deve ser a preparação nas mamas para a amamentação, mas são todos falsos. Você não precisa preparar suas mamas, pois elas já estão prontas: você é mamífera, seus peitos são o resultado de milhões de anos de evolução da espécie humana e foram desenhados para alimentar o seu bebê.

Não use cremes hidratantes ou lanolina na aréola e nos mamilos. Igualmente, não esfregue a mama com bucha vegetal ou com toalhas. Tudo isso pode ter o efeito contrário e deixar a pele do mamilo mais fina e sensível.

Tomar sol em qualquer parte do corpo, durante meia hora, até as 10h da manhã ou após as 16h é saudável. No entanto, expor as mamas ao sol não ajuda a evitar fissuras e não representa uma preparação para amamentar. Na verdade, considerando que a maioria das mulheres não costuma expor seus seios ao sol, isso pode até mesmo deixá-los mais sensíveis.

Não importa se seu mamilo é grande, pequeno, plano ou invertido, porque o bebê, ao mamar, não pega o bico e sim a aréola toda ou quase toda. Assim, não é necessário fazer nada para “formar bico” caso seu mamilo seja plano ou invertido. Não use conchas e não faça massagens.

Se não é necessário preparar o corpo, como se preparar para amamentar? O que você precisa preparar é a sua cabeça: estudar pelo menos um pouco sobre amamentação, especialmente sobre a pega correta, que é o que efetivamente evita fissuras. Também é interessante conhecer um pouco sobre o processo de produção de leite materno, refletir sobre alguns (pre)conceitos sobre bebês, sobre sua criação e sobre a própria amamentação.

Amamentar é da nossa espécie, mas, por motivos diversos deixou de ser uma prática habitual durante muitas décadas. Assim, deixou também de ser transmitido de mães para filhas. Por isso, o que em séculos passados se aprendia com a mãe, agora é preciso aprender por meio de outros recursos. Portanto, informe-se, pesquise, fique atenta.

Estes são alguns textos que recomendamos:

Como se preparar para amamentar com sucesso
http://grupovirtualdeamamentacao.blogspot.com.br/2014/01/como-aumentar-as-chances-de-ter-sucesso.html

Expectativas sobre bebês: parte 1 (desenvolvimento físico e sono)
https://www.facebook.com/notes/soluções-para-noites-sem-choro/expectativas-sobre-bebês-parte-1/282770681747348

Expectativas sobre bebês: parte 2 (alimentação e independência)
https://www.facebook.com/notes/soluções-para-noites-sem-choro/expectativas-sobre-bebês-parte-2-de-2/339160729441676

Cesariana eletiva e aleitamento materno: revisão sistemática com metanálise
http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/cesariana-eletiva-e-aleitamento-materno.html

Indicações reais e fictícias de cesariana
http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/indicacoes-reais-e-ficticias-de.html

Porque alguns sites e blogs não vão te contar que mamadeiras e chupetas causam desmame e muitos outros prejuízos
http://grupovirtualdeamamentacao.blogspot.com.br/2015/03/porque-alguns-sites-e-blogs-nao-vao-te.html

Recomendamos que tente ler nossos arquivos e álbuns:

Índice alfabético
http://grupovirtualdeamamentacao.blogspot.com.br/p/indice-alfabetico-gva.html

Álbuns https://www.facebook.com/groups/grupovirtualdeamamentacao/photos/?filter=albums

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...